Notícias

Municipalização do trânsito de Araxá é apresentado para vereadores

DSC06524

DSC06524 

Os vereadores Mauro César, Juarez, Josino, Piruca, Zezinho Gaiola com o Coordenador da JARI, Fabrício Silva e o Assessor de Trânsito de Araxá, Bruno Borges 

 

   O Assessor de Trânsito e Transporte, Bruno Pereira Borges e o Coordenador da JARI (Junta Administrativa de Recursos de Infrações), Fabrício Bonifácio Silva, da cidade de Araxá, apresentou na última quarta-feira (11) aos vereadores Juarez Carvalho, Piruca, Josino Bernardes, Mauro César, Zezinho Gaiola e o Assessor Parlamentar do vereador Arnaldo Gontijo, Matheus Faria; todos os detalhes do projeto de municipalização do trânsito de Araxá, que está em funcionamento há 5 anos.

    Bruno Pereira, explicou que para a eficácia da municipalização do transito, foram criados três órgãos de trânsito para fiscalizar, trabalhar com educação no trânsito e outro responsável pelo planejamento e projeto para melhorias nas vias. O Assessor de Trânsito esclareceu que para a criação desses órgãos é recomendado a realização de concurso público para que sejam criados cargos efetivos.
    De acordo com Coordenador da JARI, Fabrício Bonifácio, com a municipalização todo o dinheiro arrecadado com as multas é aplicado na cidade. Ele ainda conta que mesmo com a contratação dos agentes de trânsito a Polícia Militar continua auxiliando na fiscalização.
    Segundo ele também é importante a criação da Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari), que é o órgão no qual os motoristas que forem autuados podem recorrer às multas. Isso facilita para o cidadão que não precisa recorrer em Belo Horizonte, como era feito atualmente. Segundo ele, após a municipalização houve a diminuição do número de multas que são lavradas na cidade. “Menos multas, menos infrações e menos acidentes”, afirmou.
Fabrício diz ser necessária a contratação de agentes porque para a Polícia Militar a segurança pública é prioridade e não o trânsito.
    Para o presidente da Câmara de Vereadores, Evandro Donizeth Piruca, é necessário analisar as cidades que já municipalizaram o trânsito para aprovação do projeto, mesmo sendo obrigatório. “É uma responsabilidade muito grande do município, então, temos que pegar as experiências das cidades que já implantaram”.

    O Assessor de Trânsito, Bruno Pereira, finalizou ressaltando o quanto foi excelente a medida para Araxá. “Estamos atingindo nossa missão de organizar o sistema de trânsito e transporte no município de Araxá; proporcionar maior comodidade, economia e satisfação do usuário e garantir maior fluidez do sistema viário, assegurando a mobilidade de bens e pessoas, foi excelente para a cidade”. 

DSC06542 O Assessor de Trânsito e Transporte, Bruno Borges apresentando o sistema de modernização de trânsito adotado na cidade

%d blogueiros gostam disto: